Econoceitos: taxa de câmbio

Econoceitos: pílulas de economês! Conceitos importantes, explicados de forma mastigada

Hoje falaremos de câmbio, industrialização, balança comercial (exportações e importações) e inflação.

Taxa de câmbio é a relação entre moedas de dois países. Por exemplo, o Brasil utiliza o real e os EUA o dólar. Mas, um real não equivale a um dólar e essa relação de troca é justamente a taxa de câmbio. No Brasil definimos o câmbio como “quantos reais são necessários para comprar um dólar”. Em um exemplo hipotético, se para comprar 1 dólar precisamos de 4 reais a taxa de câmbio é 4.

E = 4R$/1US$

Por isso, quando o câmbio sobe quer dizer que precisamos de mais reais para obtermos o mesmo dólar, ou seja, se a taxa de câmbio vai para 5 é porque 1 dólar está custando 5 reais.

Mas, e aí? O bom é sempre que o real seja forte, não é mesmo? Então…

Desvalorizar o real é deixá-lo mais fraco. Se antes, com câmbio forte (valorizado) 1 real comprava 1 dólar, agora você precisa de 4 reais para comprar o mesmo dólar. Ou seja, relativamente o nosso dinheiro está mais fraco, desvalorizado.

Se a nossa produção de mercadorias é feita e precisa ser vendida em dólar, quando o câmbio está desvalorizado o sujeito que tem 1 dólar compra uma mercadoria de 4 reais. Se o real fosse 1 pra 1, ele compraria mercadorias de 1 real com o mesmo dólar. Então o câmbio desvalorizado estimula as exportações porque faz com que a gente fique “mais barato” pro mundo.

Agora sobre a industrialização: com o câmbio valorizado (forte) a gente tem mais poder de compra para importar, ao invés de precisar produzir aqui dentro. Se 1 real comprasse 4 dólares faria mais sentido a gente importar máquinas e mercadorias ao invés de desenvolver tecnologia aqui. Se nosso dinheiro fica muito forte e não temos indústria, existe um incentivo pra que importemos ao invés de produzir aqui.

Assim, câmbio valorizado faz com que a gente importe mais, exporte menos e se desindustrialize.

O câmbio desvalorizado, por ser mais fraco, faz com que seja caro importar e incentiva que produzamos tecnologia aqui. Já as exportações barateiam pro resto do mundo e a gente vende mais mercadorias.

Por fim, se o câmbio se desvaloriza isso gera inflação, mas por qual motivo? Porque nós consumimos muitas mercadorias e serviços que utilizam insumos importados. Se a moeda nacional está mais fraca, essas importações ficam relativamente mais caras (pois são pagas em dólar) e as mercadorias ficam, no geral, mais caras. Então a desvalorização do câmbio, apesar de estimular as exportações e fomentar a indústria a desenvolver tecnologia no país, por encarecer as importações gera inflação.

Obs. Em breve retomaremos a coluna falando da diferença entre nominal e real e aí eu falo sobre câmbio nominal e real.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s